Carregando...

terça-feira, 9 de agosto de 2011

REVISTA COSTURA PERFEITA - A Revista nº1 da Confecção

FAÇA A COISA CERTA

Por Tereza Loschi Milanez

Saia Godê Simples

Mais uma vez a moda vai e volta. Agora são as saias godê que estão por aí novamente, nos desfiles de verão e agora também nos de inverno, trazendo para as mulheres a feminilidade dos anos 1950-60. A saia super-rodada, com volume, ficou famosa nessas décadas nos corpinhos das moças que dançavamrock'n'roll naquela época.

A diferença entre o godê simples e o godê duplo é bastante significativa. A saia godê duplo é cortada como um grande círculo, com um espaço no meio para envolver a cintura de quem usa, proporcionando bastante volume na barra, matéria já ensinada em edição anterior. A saia que ensinaremos hoje é a godê simples, ou seja, metade de um círculo, que tem menos volume e fica um pouco menos rodada.

Observe bem nesta lição a diferença entre a saia godê simples e a saia godê duplo. Na godê simples, a medida que deve ser aplicada é 1/3 da medida da circunferência da cintura e o papel não está dobrado, como no godê duplo.

Passo a passo:

Utilize um papel quadrado e marque o ponto C no canto do papel. De C até D aplique 1/3 da medida da circunferência total da cintura do manequim desejado e de D meça o comprimento total da saia e marque E. Faça uma curva ligando os pontos. Você pode utilizar uma régua e um lápis como uma espécie de compasso, como mostra a figura 1.

Exemplo: Manequim 42 - Circunferência total da cintura é 74 cm.

C até D - 1/3 da circunferência, ou seja, 24,6 cm.

D até E - Comprimento longuete, 75 cm abaixo da cintura (mais ou menos no meio da canela).

 Neste modelo de saia, a frente e as costas são iguais, então corte duas vezes este molde e coloque-os no tecido como mostra a figura 2. Ela fica com ótimo caimento se cortada em pleno viés.

Se quiser fazer recortes, é só dividir o molde e acrescentar as margens de costura. Utilizando a criatividade, reproduza infinitos modelos.

Esta e outras lições são encontradas no livro básico do Corte Anatômico®, que forma profissionais em todo o país com seus cursos a distância. Aprenda você também com confiança e qualidade e sem complicações.

Dúvidas e sugestões, entre em contato pelos telefones: (11) 3222-4242 ou (11) 9865-6040, e-mail: contato@corteanatomico.com.br, ou acesse o site www.corteanatomico.com.br.

Agradecimentos: Amanda Baptista Milanez e Rosemary Baptista Milanez.

Foto: Agência Fotosite

Legenda: Desfile Louis Vuitton, Inverno 2010.

REVISTA COSTURA PERFEITA - A Revista nº1 da Confecção

FAÇA A COISA CERTA

SAIA GODÊ DUPLO

Por Tereza Loschi Milanez

 Saias godês invadem as estações mais alegres do ano, a primavera e o verão. Mais uma vez a moda inspira-se no passado, deixando as mulheres mais charmosas, com uma peça que é um dos símbolo do feminismo e sensualidade: as saias. Divertidas e volumosas, as saias godês (rodadas desde a cintura) vêm com tudo, principalmente com cintos e cintura alta. E a modelagem é mais fácil de usar por ser soltinha, rodada e cheia de movimento! Nesta edição, iremos fazer asaia godê duplo, também chamada de "godê guarda-chuva," por formar um círculo completo.

Passo a passo:

A modelagem é muito simples. Utilize um papel retangular no tamanho suficiente ao comprimento da saia. Dobre ao meio e marque ponto C no canto do papel junto à dobra. De C até D aplique 1/6 da circunferência da cintura do manequim desejado. De D até E marque o comprimento da saia diversas vezes utilizando a régua como se fosse um compasso. (fig. 01)

Comprimentos das saias

Para marcar o comprimento, nada melhor que possuir uma tabela industrial. Começaremos mostrando quais os comprimentos mais usados e seus nomes. Eles servem para saias, vestidos e saias-calças.

1- Micro 35 cm: entre 8 e 10 cm abaixo da altura do gancho de uma calça.

2- Mini 40 cm: fica no meio da coxa.

3- Midi 45 cm: este comprimento fica um pouco acima do joelho.

4- Chanel 55 cm: na altura do joelho.

5- Maxi 60 cm: na altura da "batata da perna".

6- Longuete 75 cm: mais ou menos no meio da canela.

7- Longo 105 cm: cobrindo o sapato.

Desdobrando o papel, terá a metade da saia. Se quiser fazer recortes é só dividir o molde e acrescentar as margens de costura. Utilizando sua criatividade, reproduza infinitos modelos. Para cortar o tecido, coloque o molde na posição indicada na figura 2. O tecido a ser escolhido vai depender do volume desejado. Como podemos observar na foto, o tecido desta saia proporciona volume.

Esta e outras lições são encontradas no livro básico do Corte Anatômico, que forma profissionais em todo o país por meio de seus cursos a distância. Aprenda você também com confiança e qualidade, e sem complicações.

Dúvidas ou sugestões, entre em contato pelos telefones: (11) 3222-4242 ou (11) 9865-6040; e-mail: contato@corteanatomico.com.br ou acesse o site: www.corteanatomico.com.br

Agradecimentos: Amanda Baptista Milanez e Rosemary Baptista Milanez

Foto: Silvia Boriello / Desfile Cori - SPFW - Verão 2011

REVISTA COSTURA PERFEITA - A Revista nº1 da Confecção

Faça a Coisa Certa

Por Tereza Loschi Milanez

PARKA ESPORTIVA

Ao analisarmos a moda atual percebemos a informalização na forma de as pessoas se vestirem. Mais do que informal, a moda está chegando a ficar esportiva. São elementos que as pessoas querem usar agora, mas que vieram lá dos anos 1990. E sabe o que mais se usou nesses anos e que está querendo voltar? A parka! Ou a jaqueta esportiva, mais larguinha ou mais compridinha, que não define as formas, feita de material informal.

 As parkas esportivas têm aparecido em desfiles, principalmente internacionais e em editoriais. E o jeito mais legal de usar essa "terceira peça" é coordenando-a em looks mais sofisticados: com calça tipo alfaiataria, com saia lápis ou de cintura mais alta, com vestidos tipo tubinhos mais atuais, com camisas ou suéteres de cashmere.

Este modelo apresentado é despojado e bem largo ao corpo. Usando a criatividade, poderão ser desenvolvidos muitos outros modelos com recortes, franzidos, cores e estampas. O importante é ter uma modelagem que vista bem, pois a confecção pode utilizar lindos tecidos, ter ótimo maquinário, boas costureiras; enfim, pode ter tudo do melhor, porém se a modelagem for ruim tudo isso estará perdido. Por isso utilize uma modelagem de confiança. O desenvolvimento deste modelo é iniciado pela camisa esporte masculina. Isso mesmo, base masculina para desenvolver um modelo feminino, é assim que iniciaremos nosso aprendizado.

Para desenvolver o básico da camisa esporte masculina use as lições do livro básico do corte sem cálculos Anatômico®, que é componente de um kit de um curso autoexplicativo de modelagem industrial e sob medida. Este kit é encontrado também na loja Cavemac.

Para proporcionar este efeito bem largo que podemos ver na foto, é necessário desenvolver o modelo a partir de uma base 2 a 3 manequins acima do tamanho desejado. Por exemplo, se a modelo veste manequim 42, para ficar largo como está, deve ser feita a modelagem no manequim 48.

Passo a Passo:

Já com a base da camisa pronta, a partir da cintura desça 40 cm, traçando um retângulo, na frente e nas costas. Observe na fig. 01 e 02 nos pontos A-B.

Frente: Aumente para o transpasse do meio da blusa frente 8 cm nos pontos C-D. Ligando com linhas retas.

Capuz: Será desenvolvido sobre o molde frente. Existe uma regra básica para o desenvolvimento do capuz em que se desenha um retângulo acima dos ombros com as medidas correspondentes à largura e à altura da cabeça.

Na apostilas de malhas do corte Anatômico®, há uma tabela que foi desenvolvida para criar um padrão que lhe auxiliará bastante. Neste caso um tamanho médio corresponde à altura total de 64 cm, e será utilizada a metade dessa medida, ou, seja, 32 cm. Na largura aplique a metade do entrecavas costas, que seria a largura da cabeça. Para este modelo amplo será de mais ou menos 11 cm. No retângulo pronto marque os pontos E-F-G-H, como mostra a figura. No ponto F suba 1 cm e marque o ponto I. No ponto J, (ombro) entre 4 cm e marque o ponto K. Na linha do decote (ponto L) desça 6 cm e marque M. Ligue os pontos I-K-M com curva, observe a figura 1. Esta linha será a nova linha da blusa frente que ficará com um decote mais aberto e será também a linha do capuz.

Para este modelo de capuz, que é bem amplo, faça um aumento extra de 5 cm na altura, marque os pontos O-P. Na metade dos pontos O-P, suba 4 cm e marque Q. Na metade do ponto G-I aumente 5 cm e marque N. Ligue I-N-Q com curvas, fazendo assim o formato arredondado da cabeça. Se desejar um detalhe opcional, no ponto P saia 2 cm e marque ponto R, ligue os pontos R-M com linha reta.

Costas: No ponto S afaste o decote 4 cm, para igualar com o decote da frente, marque o ponto X, e desça 1 cm do ponto Y e marque Z. Ligue os pontos X-Z com curva. Observe a fig. 02. Separar o molde do capuz do molde frente na linha M-I. O modelo semipronto ficará como mostra a figura 3. O próximo passo é realizar os recortes que desejar para dar adorno ao modelo, assim como desenhar bolsos e colocar as margens para costura, dependendo do acabamento e maquinário a ser utilizado.

Dúvidas ou sugestões, entre em contato pelos telefones: (11) 3222-4242 ou (11) 9865-6040; e-mail: contato@corteanatomico.com.br ou acesse o site : www.corteanatomico.com.br

Agradecimentos: Amanda Baptista Milanez

Foto: Silvia Boriello/Desfile Ellus - SPFW - Inverno 2010

.:: Revista Costura Perfeita :: A Revista da Confecção.

Faça a coisa certa

MACACÃO

Por Tereza Loschi Milanez*

A peça surgiu como roupa para o trabalho e entrou para a história do vestuário como uniforme de operários; décadas depois o macacão deixou de ser um uniforme para quem fazia trabalho braçal e passou a ser considerado uma peça cheia de glamour. Hoje, muito mais repaginado, estiloso e versátil, de diversos tecidos e modelos, o macacão é a grande tendência.
Como sempre o início de toda e qualquer peça é o molde básico, que é onde encontraremos as medidas padrões do corpo humano, para poder assim ter noção de qual ponto alterar para fazer determinado modelo. Para realizar essas modelagens com rapidez, segurança e com bom caimento, utilize o método Anatômico®.
Para proporcionar um resultado que vemos na modelo, um macacão mais largo, é necessário fazer um manequim maior, por exemplo, fazer um 44 e etiquetar como 42, porque a ideia é ficar largo mesmo.
O molde do macacão é simples e com muitas opções de modelos, porém para vestir de maneira perfeita é necessária uma folga na altura da cintura entre a blusa e a calça, principalmente nas costas, para não se tornar uma peça incômoda ao sentar-se ou abaixar-se.

Passo a passo:

1º Passo: fig. 01. Prepare os moldes básicos frente e costas da calça e da blusa feminina. Esses moldes já foram ensinados em matérias anteriores, mas, para quem perdeu, entre em contato que lhe ensinaremos. Ao unir os moldes pela cintura, dê as seguintes folgas:
Na frente: Ponto A: 2 cm (meio), B: 3 cm (lateral)
Nas costas: Ponto C: 3 cm (lateral igual da frente), D: 4 cm (meio)
Retrace o meio dos moldes com uma reta e as laterais com leve curva. Por meio deste básico de macacão para tecido plano, poderá ser desenvolvido qualquer modelo com variações nas golas, recortes, bolsos etc. Será de acordo com o figurino ou o desejado.
Importante: caso o modelo tenha um recorte na cintura, elástico ou passadores, faça sempre se baseando pela cintura da calça, deixando a folga sempre na parte da blusa.

DICA:


TRANSPORTE DO GANCHO:
é geralmente usado em modelos esporte, pois proporciona mais folga no gancho, e tem uma vantagem na modelagem industrial por facilitar o encaixe das peças buscando sempre economia de tecido e, consequentemente, diminuir custos. O caimento do gancho do Corte Anatômico® é sempre perfeito, com ou sem transporte, o que simplesmente muda um pouco para trás a costura da entrepernas. Após transportar sempre, confira a medida que ficou no entrepernas e costas e aplique-a no entrepernas frente, completando a curva do gancho até essa medida.
2º Passo: Fig. 02. Agora com a base de macacão pronta, faremos as modificações para se transformar no modelo que vemos na foto. Observe as figuras. Abaixe a cintura, neste caso abaixamos 9 cm, faça um traço reto na lateral, pois o modelo não é nem um pouco acinturado.
Como se pode observar este modelo não tem pence costurada, por esse motivo será necessário igualar as laterais. O procedimento para eliminar as diferenças da pence quando o modelo não tem pence, nem franzido, nem recorte que dê para ser transportada, é feito de forma diferente, e ensinaremos em outra ocasião. No entanto, para esse modelo em especial, faremos da seguinte forma:
Cava Costas: Diminua os ombros 5 cm e retrace a cava novamente.
Cava Frente: Diminua os ombros 5 cm e abaixe a cava 4 cm somente na cava frente, e retrace a cava novamente. Ajuste a perna da calça 1,5 cm de cada lado da pena para ficar uma boca meio justa como a que se usa ultimamente. As partes destacadas em cinza nas figuras deverão ser eliminadas.
3º Passo: Figura 03. Geralmente o macacão é uma peça só; excepcionalmente para este modelo é necessário separá-lo novamente para proporcionar o resultado apresentado, por ter pregas diferentes na parte da blusa, que não tem na calça e vice-versa. O cinto pode ser postiço ou não; se não for postiço, será necessário descontar a largura do cinto do comprimento da blusa.
Faça o aumento para as pregas no meio da blusa frente aumentando 9 cm. A calça terá duas preguinhas pequenas de 1 cm cada uma, em que está marcado com traço verde como pode observar na figura. Desenhe o bolso, entrando 5 cm e descendo 15 da lateral da calça, como mostra a figura 3. Depois de fazer todas estas modificações, coloque as margens de costura de acordo com o acabamento e maquinário utilizado.

Aprenda a desenvolver várias outras modelagens com o método Anatômico®, encontrado também na Cavemac.Estamos à disposição para solucionar dúvidas e atender sugestões. Entre em contato conosco pelos telefones (11) 3222-4242 ou (11) 9865-6040, e-mail: contato@corteanatomico.com.br ou acesse o sitewww.corteanatomico.com.br.

Agradecimentos: Amanda Baptista Milanez

Foto: Silvia Boriello

.:: Revista Costura Perfeita :: A Revista da Confecção.

Faça a coisa certa

Por Tereza Loschi Milanez

Blazer Justo

O blazer que ensinaremos nesta edição é um modelo bem feminino e mais ajustado, que estilistas apresentam como tendência para o Outono-Inverno de 2010, sendo uma peça versátil que se combina com muitas outras, criando vários looks elegantes e práticos.

Nesta modelagem é possível observar que foi desenvolvida uma gola italiana feita no mesmo  procedimento da gola smoking, já ensinada em outra edição. A manga a ser utilizada é a de casaco. Para a modelagem de blazer costuma-se utilizar 1 ou 2 manequins acima do desejado, para ficar mais largo no corpo; porém atualmente está sendo usado em toda parte blazers justos como blusas, no tamanho do manequim desejado; e não podemos nos esquecer de que detalhes dão elegância à peça.

Estão em destaque a cava e o ombro estruturados, pois o blazer tem esses diferenciais; muitas confecções fazem casacos e blazers com cavas comuns de blusa, no entanto o ideal é fazer uma própria, com um ombro mais estruturado. Um detalhe simples, mas que faz toda a diferença no visual.

O recorte é também uma boa dica para dissimularmos as pences do busto e da cintura, transportando-os para apenas um recorte, dando um visual limpo e bem moldado ao corpo. O modelo apresentado é mais curto que o blazer tradicional, não chegando à altura do quadril, variando de 10 a 15 cm abaixo da cintura.

Passo a passo:

Observe que as linhas vermelhas representam o molde base; as linhas pretas, as modificações para o modelo de blazer; e as linhas verdes, a modelagem semipronta.

FRENTE: (Figura 01)

Ombros: Para uma ombreia baixa, mais fininha, na escala 2, suba 0,5 cm e trace o novo ombro a partir do ponto A, sendo a medida deste 1 cm maior que o ombro básico; marque K.

Cava: No ponto 3, trace uma linha horizontal pontilhada e suba desta linha 5 cm em direção à cava; marque ponto X (entre cavas). De X saia 0,5 cm para fora do molde; marque o ponto L. Do ponto 3, desça 3 cm na lateral (para manga justa) e faça o ponto M. Ligue K-L-M com a régua de curvas do Corte Anatômico, o qual facilitará muito, mas pode ser também traçado à mão.

Recorte: Marque o ponto N no meio do ombro. De N trace com linha reta até o ponto 4, descendo pela pence da cintura até o comprimento o ponto Y. Corte a linha do recorte N-Y passando pelos pontos C e D e feche a pence do busto, eliminando assim todas as pences.

COSTAS: (Figura 02)

Ombros: O procedimento é bem parecido com o da frente, porém suba 1 cm e trace o novo ombro a partir do ponto A, sendo essa nova medida 1 cm maior que a do ombro básico, e marque K.

Cava: Marque o ponto X da entrecavas pelo mesmo processo da frente. De X saia 0,5 cm. No ponto 3, desça na lateral 3 cm e faça o ponto R. Ligue K-Q-R com curva.

Recorte: Ajuste no meio das costas 1 cm na cintura e 0,5 cm no comprimento, trace com linha reta. O ajuste subirá da cintura até a altura do ponto X. Marque o ponto N no meio do ombro. De N trace uma leve curva até a pence da cintura, a qual deve ficar com 2 cm de largura, descendo até o comprimento do ponto Y. Corte a linha do recorte N-Y passando pelos pontos C e D, eliminando do molde as partes apresentadas na cor cinza.

Obs.: para ombreiras mais altas aumente o dobro das medidas nos pontos K, L e Q. Faça o transporte de 2 cm do ombro costas para o da frente. O molde apresentado tem 2,5 cm de transpasse para o abotoamento, entretanto a modelagem pode ser executada sem abotoamento, como a demonstrada na foto; são variações para o mesmo modelo.

Dica: Conheça a apostila de blazers, casacos e jaquetas do Corte Anatômico®, que contém muitas outras lições interessantes como esta. Por meio do kit autoexplicativo, qualquer pessoa pode aprender a desenvolver modelagens de todo tipo. Esses materiais são encontrados também na Cavemac.

Dúvidas ou sugestões, entre em contato pelos telefones: (11) 3222-4242 ou (11) 9865-6040; e-mail: contato@corteanatomico.com.br ou acesse o site : www.corteanatomico.com.br

Agradecimentos: Amanda Baptista Milanez

REVISTA COSTURA PERFEITA - A Revista nº1 da Confecção

FAÇA A COISA CERTA

Vestido com Manga Japonesa

Por Tereza Loschi Milanez

As novas tendências são para os shapes que oscilam entre os vestidos ajustados ao corpo ou com volumes estratégicos nos ombros estruturados e quadris (por exemplo, silhueta tulipa, balonê etc.), favorecidos por tecidos nobres, high tech, naturais fluídicos, ecológicos, entre outros. A peça que ensinaremos nesta edição é muito fácil de modelar: com decote canoa e manga japonesa, é um vestido solto, mas que mantém a forma do corpo e se afunila levemente na barra.

Passo a passo:

Comece traçando o básico para tecido plano, da blusa e da manga. Para realizar esta modelagem com rapidez, segurança e bom caimento, utilize o método Anatômico. Observe as linhas vermelhas e azuis que representam esses básicos e as linhas pretas que representam as modificações que fará no modelito.

Manga japonesa: Os modelos de manga japonesa são roupas geralmente folgadas no corpo, portanto, nesse vestido soltinho poderemos dispensar as pences e igualar a altura da lateral costas na mesma medida da frente, aumentando o comprimento das costas na altura da cintura. Para facilitar o traçado, faremos em um mesmo esquema os moldes frente e costas.

Recorte o molde básico costas e coloque sobre o molde básico frente, unindo ombros, decote e linha no centro. A largura das costas será igualada com a largura da frente. Assim, a única diferença entre frente e costas vai ser o decote; todo o restante será igual, como demonstra a figura 2. Ilustramos e ensinamos para que você entenda o procedimento, mas a essência é simplesmente desenhar o decote costas no molde da frente.

Faça um aumento de 2 cm em toda a lateral para proporcionar mais folga ao modelo. Essa medida pode variar de acordo com o resultado desejado, podendo dar mais volume no quadril.

Marque ponto A na cava da blusa, desça 10 cm na lateral e marque ponto B. Essa medida pode variar de acordo com o número do manequim, sendo de 10 cm a 12 cm.

No básico da manga, marque os ponto C e D, sendo a distância de C até D igual a um quarto do contorno total da manga. No ombro, suba 1 cm do ponto F e marque o ponto G. Essa medida pode variar de acordo com a folga desejada embaixo do braço: quanto maior a medida, maior a folga. Trace um novo ombro saindo do ponto E, passando por G e prolongando-se o suficiente para o comprimento da manga.

Recorte a base da manga e coloque-a no traçado da blusa, unindo o ponto G com a cabeça da manga e mantendo o meio dela no prolongamento do ombro. Ficará como mostrado na figura 1.

Ligue os pontos B e D com uma curva, definindo a manga japonesa. A manga que vemos na modelo tem um elástico levemente esticado para dar um visual tipo balonê à barra.

Transporte dos ombros: Decalque separando os moldes frente e costas em outro papel. Junte os moldes frente e costas pela linha do ombro, de acordo com a figura 3. Faça um traço deslocando o ombro 2 cm para a frente e marque o ponto H. Corte separando frente e costas pela linha H, assim a costura do ombro ficará um pouco para a frente, proporcionando elegância à roupa.

Decote: Para modelar este decote canoa, é muito fácil: é só afastar 4 cm no ombro e 3 cm no centro, tanto na frente como nas costas, retraçando as curvas. Observe nas figuras que o decote costas sempre é mais alto que o da frente para evitar que a roupa fique caindo nos ombros.

Para este comprimento de vestido, desça 30 cm do quadril e afunile 2 centímetros, como se pode observar na figura 1.

Depois de fazer todas essas modificações, coloque as margens de costura de acordo com o acabamento - que neste caso leva zíper nas costas - e também de acordo com maquinário utilizado.

Aprenda a desenvolver várias outras mangas com a apostila de Mangas Diversas e também com a apostila de Manga Raglã do corte sem cálculos Anatômico.

]

Para dúvidas e sugestões, entre em contato pelos telefones (11) 3222-4242 e (11) 9865-6040, e-mail contato@corteanatomico.com.br, ou acesse o site www.corteanatomico.com.br.

Agradecimentos: Amanda Baptista Milanez e Rosemary Baptista Milanez.

Foto: Agência Fotosite

Legenda: Desfile Patachou - Fashion Rio Inverno 2011.

domingo, 7 de agosto de 2011

REVISTA COSTURA PERFEITA - A Revista nº1 da Confecção


FAÇA A COISA CERTA

Por Tereza Loschi Milanez
CALÇA CLOCHARD
 A palavra clochard tem origem francesa e significa "andarilho"; isso mesmo, é uma calça inspirada nas roupas dos "sem abrigo", tendo um estilo bem despojado.
Mais uma vez os estilistas foram buscar ideias no passado, pois esta calça já foi muito utilizada nos anos 1980 e retorna agora como uma supertendência em muitos desfiles internacionais.
É uma calça bem solta e que deve ser ajustada na cintura com cinto, mas que voltou também com a tendência de cintura alta, com volume nos quadris proporcionado por pregas; é um pouco afunilada, lembrando as calças carrot (cenoura), só que a clochard é mais curta, ficando seu comprimento entre o tornozelo e os joelhos. A calça aparece em inúmeras versões: feita de tecidos leves como linho e algodão, despojada, de alfaiataria ou em tecido fino e festivo.
Gostamos de lembrar sempre que o resultado de seu trabalho vai depender da qualidade da base utilizada. Como todo modelo esta calça deve ser desenvolvida por meio de uma boa modelagem, por isso antes de tudo é preciso saber fazer uma boa base, neste assunto o Corte Anatômico poderá te ajudar, fornecendo nossos conhecimentos para formar bons profissionais, pelo nosso método de corte sem cálculos, rápido e fácil.
Vamos lhe ensinar agora como fazer este modelo, com duas pregas na frente para dar volume e afunilando um pouco a perna.
Passo a Passo:
Como o modelo é folgado, aconselhamos que utilize para o tipo básico um manequim acima do desejado. Exemplo, para as confecções que fazem a peça piloto em um tamanho médio manequim 42, utilize o tamanho 44, etiquetando como 42, que proporcionará este resultado mais largo e com o gancho um pouquinho baixo. No entanto, se desejar um modelo ainda mais amplo, use o básico dois manequins maiores. Observe as figuras: as linhas vermelhas representam a base e as linhas pretas, as modificações para o modelo clochard.
Instruções para frente e costas, figuras 1 e 2
GANCHO: Para um gancho mais baixo desça 3 cm nos ganchos frente e costas e trace as curvas. Confira o entrepernas para garantir que estão com a mesma medida; se necessário ajuste o entrepernas frente.
AJUSTE NA BARRA: Nos pontos A e B, entre 2 cm. Trace as laterais ligando em linha reta o ponto D até a linha dos quadris, e trace o entrepernas ligando em linha reta o ponto C até a linha do joelho. Obs.: se desejar a boca da calça mais justa, aumente a medida de ajuste nos pontos A e B.
COMPRIMENTO: Marque o meio entre a barra e a linha dos joelhos e suba a barra, fazendo com que a calça fique mais curta.
Instruções só para frente:
PREGAS: 1ª Prega: Trace a 1ª prega na linha do vinco do molde, marcando o ponto G que vai cruzar a cintura com a linha do vinco; desça até 5 cm abaixo do joelho e marque E, e no entrepernas a partir da linha do joelho desça 10 cm, marcando F. Desenhe uma linha pontilhada passando pelos pontos F-E-G. Fig. 1
2ª Prega: Na linha da cintura marque 5 cm para a direita e marque H; nesta direção desça uma linha paralela à linha E-G, descendo também 5 cm da linha do joelho e marque I. Na lateral a partir da linha do joelho desça 10 cm e marque J. Desenhe uma linha pontilhada passando pelos pontos J-I-H. Fig. 1
Corte nas linhas pontilhadas, abrindo a profundidade desejada para cada prega; nesse caso, por exemplo, abra 4 cm em cada uma. Cole um papel mantendo as aberturas. Fazendo isso proporcionará volume nos quadris até o joelho, que é a característica da calça clochard. Fig. 3.
Se desejar, poderá aumentar a profundidade das pregas para deixar o modelo mais amplo e ainda fazer mais ou menos pregas com aberturas maiores ou menores, use sua criatividade. Se quiser pregas na parte das costas é só seguir o mesmo procedimento. Os bolsos poderão ser bolso-faca, bolso-americano ou como desejar. A pence da cintura frente é desconsiderada ficando a cintura mais solta, que será ajustada com um cinto, característica primordial do modelo clochard.
Esta e muitas outras interpretações de modelos são encontradas em nossa apostila de calças.
Dúvidas ou sugestões, entre em contato pelos telefones: (11) 3222-4242 ou (11) 9865-6040; e-mail: contato@corteanatomico.com.br ou acesse o site: www.corteanatomico.com.br
Agradecimentos: Amanda Baptista Milanez e Rosemary Baptista Milanez
Foto: Agência Fotosite/Desfile Kenzo - Verão 2010

REVISTA COSTURA PERFEITA - A Revista nº1 da Confecção

FAÇA A COISA CERTA

FAÇA A COISA CERTA
Por Tereza Loschi Milanez


Colete de Alfaiataria
O colete de alfaiataria é uma peça clássica que traz referência masculina, mas que veio com tudo para o guarda-roupa feminino. Alguns trazem uma mensagem de refinamento e elegância por terem o corte mais reto e o comprimento alongado; outros, já bem acinturados e curtinhos, variam entre elegância e despojamento.
Existem vários modelos para todos os gostos. Vamos desenvolver nesta edição um colete mais alongado, com uma modelagem mais reta e com fechamento diferente do tradicional, sem transpasse e botões.
Esta lição é um pouco mais avançada, por isso é necessário dedicar mais atenção. Mas não se preocupe: se ficar alguma dúvida, recorra a nossa apostila de Blazer, Casacos e Jaquetas, do Corte Anatômico, onde encontrará a lição de alfaiataria mais detalhada, além de outros modelos, inclusive colete mais ajustado e curto que se tem usado muito por aí.



 Passo a passo:
Trace os moldes de blusa frente e costas com todas as pences e linhas básicas. Com o método Anatômico, você poderá aprender a desenvolver esses moldes em 5 minutos, e com ótimo caimento. As medidas indicadas nos traçados a seguir são calculadas para o manequim 42. Para este colete, aumente, abaixo a linha do quadril, o comprimento 8 cm. Na lateral, trace da linha do quadril até o comprimento, aumentando um leve evasê de 1 cm.
Cavas: Vamos cavar um pouco, diminuindo 2 cm nos ombros e descendo 3 cm retraçando a curva e observando a parte da frente para não cavar mais que 0,5 cm no meio cava (ponto X). Observe a figura 1.
Decote frente: Marque o ponto B, onde será fixado o fecho, 10 cm acima da linha da cintura. Ligue o ombro ponto A ao ponto B com traço reto. Desenvolva a gola esporte, como já ensinada em outras edições. Se não tiver, solicite o kit do Corte Anatômico, no qual aprenderá diversos modelos de golas.
Recorte frente: O modelo da foto não tem esse recorte, mas indicamos que o faça para que o colete tenha um melhor caimento nas curvas femininas e para eliminar as pences. Você poderá também não fazer o recorte e só costurar as pences - fica a seu critério. Para fazer o recorte, marque o ponto N no meio do ombro novo. De N trace com leve curva até a escala 4. Retrace a pence com apenas 2 cm de profundidade. Recorte de N até a pence da cintura.
Ajuste na cava frente: Para que a cava tenha melhor caimento, por causa do volume do busto, faz-se um ajuste para eliminar a folga produzida por meio de uma pence de 2 cm somente no molde, abaixo do ponto X.
Ajuste do meio das costas: Marque 2 cm na cintura e 1 cm no comprimento, trace com linha reta. O ajuste subirá da cintura até a altura do ponto C, que é 14 cm abaixo do decote. A pence da cintura fica inutilizada; ela foi eliminada no meio das costas. Elimine as partes de cor cinza, como mostra a figura 3. No molde de alfaiataria a costura não é exatamente na lateral (como nas blusas comuns), mas um pouco mais para trás, sendo necessário transferir uma parte da lateral costas para a frente, da seguinte maneira:
Quadril frente: Prolongue a linha da cintura na lateral, aumente 4 cm em todo o quadril, trace uma nova curva, paralela à base (figura 1).
Laterais frente e costas: Nas costas, meça 2 cm para a direita e 2 cm para a esquerda, contornando a nova cava. Faça isso em toda a lateral. Com linhas paralelas, marque ponto S-V-T-W-U-X, como mostra a figura 3. Destaque o pedaço das costas, pontos S-T-W-V-S (verde), e aplique na lateral frente, apoiando o ponto W no traço reto da cintura frente (figura 3). A diferença do traço O-M (lateral frente) será fechada na pence. Obs.: Note que a pence nunca será fechada em sua totalidade.
Quadril costas: A parte cinza (W-X-U-T-W) das costas será eliminada (figura 2). Faça o transporte dos ombros, cortando 3 cm do ombro frente e colando nas costas. Esse procedimento proporcionará mais elegância ao modelo.
Para dúvidas e sugestões, entre em contato conosco pelos telefones (11) 3222-4242 e 9865-6040, pelo e-mail contato@corteanatomico.com.br, ou acesse www.corteanatomico.com.br.
Agradecimentos: Amanda Baptista Milanez e Rosemary Baptista Milanez.
LEGENDA:
Desfile Osklen, inverno 2011.
Foto: Agência Fotosite

REVISTA COSTURA PERFEITA - A Revista nº1 da Confecção

REVISTA COSTURA PERFEITA - A Revista nº1 da Confecção

FAÇA A COISA CERTA

Por Tereza Loschi Milanez

Vestido Longo Boho

Um vestido leve, colorido, longo e solto, lembrando os anos 1970, com uma modelagem bem ampla e muito volume, franzidos e babados, exige tecido fino de caimento leve, como podemos ver na modelo com uma linda estampa floral.

Observando com mais atenção, podemos ver uma saia godê simples franzida, uma blusa bem decotada de alça, que são unidas por uma faixa costurada com lastec, ajustando a cintura como se fosse um cinto.

Passo a passo:

Saia godê simples: Elabore a saia godê como na figura 1. Com um papel dobrado ao meio, meça 2/3 da medida da circunferência da cintura do manequim desejado. Utilizaremos como parâmetro o manequim 42, com 74 cm de circunferência total, sendo 2/3 dessa medida 49 cm que aplicaremos do ponto A até B. Você, que é modelista, deve estar estranhando esses 2/3, mas, fazendo dessa forma, a saia ficará com o dobro da medida da cintura, que deverá ser franzida até a medida da faixa da cintura, para proporcionar o visual que podemos ver neste vestido, bem franzido.

No ponto B aplicaremos o comprimento desejado. Para o vestido longo, utilizamos o comprimento total 101, descontando a medida da largura do último babado que será costurado na barra (20 cm). Aplicaremos, então, 81 cm do ponto B até o ponto C.

Babados da saia: Primeiro: 15 cm, segundo: 20 cm, terceiro: 20 cm. No comprimento da tira que formará o babado será feito o aumento conforme o desejado, mas geralmente é feito com o dobro da medida onde será aplicado. Obs.: o franzido poderá variar de acordo com o efeito desejado, podendo ser a medida mais a metade, o dobro ou então o triplo da medida para um franzido bastante volumoso. Observe as marcações pontilhadas para se orientar ao costurar os babados para que eles se sobreponham 3 cm.

Blusa frente: No molde básico desenharemos o modelo de forma simples. Marque a abertura do decote, seguindo o modelo que está bem decotado, descendo 22 cm do ponto D até o E. Todas essas outras são sugestões e podem ser modificadas para se adequar ao visual desejado. Desça 2 cm na cava e faça o desenho da blusa com a ponta se direcionando para o meio do ombro, como pode ver na figura 2 (linhas verdes). Corte o molde na direção da pence da cintura, depois feche a pence do busto proporcionando uma abertura (pontos F e G). Desenhe uma linha onde abriremos o molde 3 cm para proporcionar volume para poder franzir (pontos H e I).

Blusa costas: Mesmo procedimento da frente: desça a cava 2 cm e desenhe a blusa descendo o decote e desenhando uma ponta em direção ao meio do ombro, como leves curvas. Desenhe duas linhas nas quais abriremos o molde 4 cm para proporcionar volume para poder franzir (pontos J e K, figura 3).

Blusa frente e costas: Elimine da blusa uma faixa de 8 cm de largura, fazendo-a ficar mais curta, pois haverá uma faixa que unirá a saia com a blusa. Essa faixa deverá ter 12 cm de largura para que sobrem 2 cm em cima e 2 cm em baixo, para dar um franzidinho, e o comprimento deverá ser o dobro da medida da cintura para ficar bem franzido, com lastec.

Babados da blusa: Execute os babados da blusa a seu gosto. Como sugestão, indicamos: frente - 2 retângulos de 12 cm de largura por 44 cm de comprimento; costas - 1 retângulo de 12 cm de largura por 48 cm de comprimento.

Esse modelo de saia fica muito bonito porque dá um volume maior na barra do que na cintura, mas acaba gastando bastante tecido, o que pode não ser viável para grande produção. Uma opção econômica seria fazer um retângulo com o dobro da medida da cintura de largura e o comprimento do mesmo jeito, descontando o último babado, como explicado anteriormente. Dessa maneira também dará certo.

Use essas dicas, sua criatividade e a técnica do método Anatômico e crie modelos deslumbrantes. Saiba como fazer outros tipos de saia e vestido com nossas apostilas. Para dúvidas e sugestões, entre em contato conosco pelos telefones (11) 3222-4242 e 9865-6040, pelo e-mail contato@corteanatomico.com.br, ou acesse www.corteanatomico.com.br.

Agradecimentos: Amanda Baptista Milanez e Rosemary Baptista Milanez.

Foto: Agência Fotosite

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visualizações